O melhor blog do mundo


Atualizações de feeds, timelines, tweets, hashtags, emails, newsletters, sms. Assim que abro o notebook meus olhos são invadidos por milhares de informações que jorram de todas estas torneiras abertas: Facebook, Twitter, Pinterest e Instagram, para ficar nos básicos. Imagens, videos, músicas, correntes, um mar de emoções de depressão, alegria, inspirações e decepções que tenta me afogar sem a menor cerimônia porque sim, eu permiti.

O problema é que, por ver tantas coisas, tudo acaba parecendo igual. Isso vale para pessoas, para empresas e para marcas, como bem lembrou a Júlia Petit na palestra que assisti na Escola Panamericana de Design este mês. E ainda rolou um papo com ela após o evento.


As frases/imagens inspiracionais, as pseudo-piadas, os memes, as reclamações, os protestos, os encontros e os desencontros... Perdi as contas de quantas vezes vi o Willy Wonka este mês. E quando parece que estou livre de um assunto, um retardatário o ressuscita e começa tudo de novo.




Dizem que neste universo virtual você é o que você compartilha. Duvido. É muito fácil curtir e compartilhar coisas prontas e se esconder atrás delas. O difícil é criar. É pegar esse jorro de informações e transformar em conhecimento e, talvez, em algum auto-conhecimento.

Tá, mas e daí?


"Nascemos originais e morreremos cópias", dizia Carl Jung. Hoje blogs nascem para ser iguais, tratar dos mesmos assuntos, das mesmas marcas, dos mesmos padrões, celebridades, "baphos". Ganha quem tem mais velocidade e com isso o conteúdo fica comprometido. As pessoas se anulam e seguem a opinião que está ganhando.


A nova moda é estampa zebra e o point é a coluna do meio.

E não falo só em blogs simples. Estou farto de matérias copiadas da Trendland, por exemplo. Quando abro meu navegador tenho a impressão de estar no meio de uma batalha de "A Guerra dos Clones": de um lado stormtroopers, de outro robôs, e um que outro jedi perdido na multidão.



Pior é empresa que tenta se comunicar usando linguagem de blogueira.
Identidade da marca pra quê?

A novidade é que descobri porque isso acontece, a razão pela qual essa mesmice está tomando conta da Internet: muitas pessoas ainda não descobriram que o melhor blog do mundo é... o seu próprio blog. E a única razão para ele ser o melhor é que você pode fazer o que quiser neste espaço, moldá-lo a sua imagem e semelhança, fazê-lo representar seu pensamento diante do mundo.


Tenho uma idéia...

E agora, o que muda?


Acho que não precisamos de mais blogs que dão "notícia em primeira mão" (mesmo que seja em segunda ou terceira, na realidade). Não precisamos de cópias de posts se multiplicando mais rápido que um ataque de Gremlins. 

Decepcionada com o cinema, ela abriu um blog sobre o "universo feminino".
E sim, a alimentaram depois da meia-noite.

Mesmo que para você seja de graça, tudo que publicamos usa energia, espaço de armazenamento, gera gás carbônico, torna necessária a construção de mais hidroelétricas, termoelétricas e usinas nucleares. Além de chato, pelo volume a clonagem de posts é mais anti-ecológica que uma marca usar pele de animais para fazer roupas.



Imagine que para cada post que você copia, um filhote de foca morre na Antártida.

Um bom exercício é se perguntar antes de postar: "tenho algo a acrescentar a este assunto além do que já foi dito?". Se a resposta for sim, vai fundo. Do contrário, vá atrás de outra coisa. Se você tratar o seu blog como o melhor do mundo, além de ganhar tempo, respeito e credibilidade, talvez a "clonosfera" possa finalmente voltar a ser a blogosfera.

Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

5 comentários: on "O melhor blog do mundo"

. disse...

Muito bom o seu texto! Acho que todo mundo reclama das copias e da falta de conteúdo novo, mas ninguém faz nada para mudar. O que e' uma pena, ja' que informação nova e' sempre bom!
http://nadiaschmidt.blogspot.com.br/

Douglas Da Silva Costa disse...

Boa Felipe! Nossa net tem se alimentado de um CrtlC + CtrlV que torra a paciência de qualquer um! Ei achava o Willy Wonka tão legal mas atualmente....

Dulcamara disse...

O meu blog É mesmo o melhor do mundo... visite! :) www.casapontocome.blogspot.com

Luizi disse...

Curti!

Jhê Delacroix disse...

Amei o post! Diz tudo o que sempre pensei. No meu caso (numa visão feminina) estou farta de blogs de esmaltes, unhas, batons e tudo mais da MAC (quando o blog é bombado) e afins que só fazem esconder o que as pessoas (ora blogueiras) são na realidade. O que gostam? O que comem? O que desejam? Apenas makes? Acho que não. O ruim... é que mesmo quando você tenta fazer algo "diferente" algum leitor vai e manda: Oi Jhê, amei seu blog, mas você poderia gravar uns vídeos de maquiagem. NÃÃÃÃÃÃO. Pra que? Já existem tantos! - Minha desculpa mais que usada - . Enfim... gostei bastante do que escrevestes. Retweetei, compartilhei, etc e tal pra verem que não sou a única. (: Tomara que um dia as pessoas também cansem do Will Irônico. Aliás, acho que o próprio Will se cansaria dessa baboseira toda. Hahaha! Beijos! Ótimo post! Que todos possam se inspirar em coisas de fato interessantes...

http://www.dosqueamo.com/page/5/

(coloquei esse link, só pra você dar uma olhadinha no meu e me "conhecer" também, acomo acabei de fazer em seu post!) Abraços!

Postar um comentário

Deixe aqui o seu InSurto: