O on no off: o virtual invade o real

O último relatório da Trendwatching aponta uma invasão do espaço online na realidade dos espaços de venda reais. Simplificando: os consumidores estão acessando todas as facilidades da experiência da compra online nas lojas e supermercados.

As vantagens do e-commerce como a conveniência, a consulta de opiniões de outros usuários e a comparação de preços em tempo real está sendo oferecida pelo comércio tradicional aos seus clientes em uma atitude de transparência total. Mas como isso acontece na real?

Em alguns casos as lojas oferecem acesso wireless para os clientes com smartphone consultarem a Internet. Outras trabalham com QR Code, e algumas tem aplicativos próprios em telas de LCD de 40” touch, que permitem ao cliente navegar por todos os seus produtos e acessar a Internet.

Mas vamos a alguns números divulgados pela Trendwatching:

  • 8 em cada 10 consumidores pesquisam suas compras pela internet antes de efetuá-las, e embora 42% pesquisa pela internet para depois comprar via internet mesmo, 51% ainda pesquisa pela internet para depois efetuar a compra em lojas físicas (Fonte: Google & IPSOS OTX, setembro de 2010).
  • Consumidores multicanal, ou seja, aqueles que procuram informações de diversas fontes antes de comprar (em lojas, pela internet, celular ou catálogo), gastam em média 82% a mais por transação que os consumidores que pesquisam e efetuam suas compras somente em lojas (Fonte: Deloitte, dezembro de 2010).
  • Tipicamente, a taxa de conversão de e-commerce fica em torno de 2-3.5%, enquanto a taxa de conversão em lojas físicas, para varejistas de moda, por exemplo, está em torno de 20-25% (Fonte: Verdict Research, maio de 2010).
  • Dos 40% dos consumidores nos EUA que têm smartphones, 70% os usa enquanto vão às compras em lojas físicas (Fonte: Google & IPSOS OTX, abril de 2011).
  • A prática de escanear códigos de barra com celulares (inclusive os tradicionais códigos UPC e códigos QR) aumentou em 1.600% mundialmente em 2010 (Fonte: Scanlife, dezembro de 2010).

E daí? Meu negócio é no Brasil!

O relatório não menciona a realidade brasileira, então vamos a outras fontes para avaliar a questão. Os smartphones, por exemplo. Você sabia que 30% dos celulares no Brasil são smartphones? Este é o dado apontado pela pesquisa Consumidor Móvel, realizada pela Pontomobi, do Grupo RBS, e pela WMcCann, e divulgada em maio deste ano.

Com a queda nos preços dos smartphones e do acesso à Internet, a tendência é que este percentual aumente muito e rapidamente. Quão rapidamente? O CEO de mobilidade e internet do Grupo RBS, Fábio Bruggioni, responde: “40,5% dos usuários pretendem trocar de aparelho nos próximos seis meses. É provável que metade desses usuários realmente o faça, e adquira aparelhos com funções avançadas”.


Hoje é possível ter acesso à Internet pela TIM pagando R$ 0,50 por dia. São R$ 15,00 por mês para acessar todas as redes sociais. Raciocine: é menos do que os jovens de baixa renda gastavam em lan houses com acesso imediato!

Não subestime o consumidor brasileiro

Vivo repetindo isto como um mantra! Infelizmente muitas empresas teimam em ver o consumidor brasileiro de uma forma diferente. Não entendem o quanto ele está informado, que ele pesquisa os preços muito bem. Se você dificultar o acesso a informação, você nem entra na cotação!

Nós vivemos em uma economia de expectativas, como aponta outro relatório da Trendwatching. E nesta economia a moeda corrente é a reputação, segundo meu ex-professor Gil Giardelli. A questão é: qual é a sua reputação, a da sua loja/empresa/marca e que expectativas do seu cliente você está atendendo?

Às vezes é preciso entrar no virtual para cair na real. Então o que você vai fazer: ser um dos pioneiros ou ficar para trás?


Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

0 comentários: on "O on no off: o virtual invade o real"

Postar um comentário

Deixe aqui o seu InSurto: