O que as marcas querem nas redes sociais?


As redes sociais são a bola da vez em termos de marketing, mas a grande pergunta é: quais os objetivos das marcas ao entrarem nessa área? Saiu no início deste mês uma pesquisa do E-Marketer que reproduzo abaixo:
chartofweek-03-02-10-lp
Como você pode ver, a maioria (73%) das empresas entrevistadas está nas redes sociais para aumentar o tráfego do site da marca. 21% tem esse objetivo, mas não mede o resultado e 5% não tem um objetivo claro.
Aumentar as vendas/receita divide o segundo lugar (56%) com melhorar sua posição nos sistemas de busca, e 53% tem o objetivo de gerar mais oportunidades de negócios.
Surpreende que melhorar a percepção da marca, sua reputação e o relacionamento com o consumidor estejam em 5º, 6º e 7º lugares. E ainda mais alarmante é que melhorar a qualidade do suporte ao cliente fique em 8º, quase no final.

Tá, mas e daí?

E daí que é interessante observar alguns fatos que sequer foram citados. Por exemplo: melhorar o relacionamento com o consumidor (ou criar um, em muitos casos) e ouvir suas idéias para melhorar produtos e processos.

Parece que as marcas estão caminhando em um sentido inverso: para atingir seus objetivos, devem colocar em primeiro plano os de seus clientes e desenvolver estratégias para atendê-los. Não admira o grande número de marcas errando o target nas redes sociais.

No próximo post sobre social media: as principais razões que levam os consumidores a usar as redes sociais. Imperdível!
Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

3 comentários: on "O que as marcas querem nas redes sociais?"

Bel disse...

Falou e Disse! se as marcas se preocupassem mais em desenvolver um relacionamento mais "direto" com o público (como através de um blog ou fórum, um canal de comunicação mais aberto e acessível), estariam indiretamente investindo num aumento do fluxo de visitas à webpage e muito provavelmente teriam resultados melhores do que investindo só em divulgação direta...
Em um primeiro momento o número de visitas pode até aumentar com essas iniciativas diretas, mas pra assegurar a manutenção desse fluxo, só desenvolvendo um relacionamento entre a marca e o consumidor.

Agne disse...

Exatamente,Bel. A questão é que relacionamento é um investimento pessoal maior. Sistemas são bons, ajudam, mas o que vaif azer a diferença são as pessoas que estão lá, atendendo. Se elas se importam com as outras pessoas, se são apaixonadas pelo que fazem e conhecem o universo no qual atuam. Se não existe isso, não tem marketing direto que salve.

Ai que doida! disse...

Concordo, a impressão que dá é a de eu as empresas não percebema ferramenta valiosa que têm nas mãos e estão fazendo um uso equivocado dela. Bjo
http://broguedadoida.blogspot.com/2010/03/verdadeiro-ou-falso.html

Postar um comentário

Deixe aqui o seu InSurto: