Éris ou Vênus: qual deusa você é?

Você é o Amor ou a Discórdia? Comparar mulheres com deusas é coisa de poeta, psicólogo ou pesquisador. Aqui não vou falar de Raimundo Correa ou de Freud, mas do terceiro tipo de abordagem, instigado pela pesquisa "De Mulher para MulhÉris: retrato de uma transição". E tentar responder a pergunta “qual deusa você é?”. Quer saber? Continue lendo!

Sobre a Pesquisa

A pesquisa foi encomendada pela Axe, conduzida pela CUBOCC em parceria com a socióloga Maria Arminda do Nascimento Arruda. O objetivo: entender o comportamento das mulheres e usar isso no desenvolvimento de produtos que ajudem os homens na conquista. Coisas como… Axe Twist. Leia a pesquisa na íntegra que vale a pena: é inteligente, divertida, instigante e cheia daqueles gráficos de identificação que mulheres adoram.

Resumo: Porque Mulheres são MulhÉris?

Ok, você não leu a pesquisa porque achou muito grande e blablablá, curte o Twitter e se acostumou mal. O InSurto resume pra você em três twittadas:

@InSurto a pesquisa identifica uma tendência comportamental chamada “MulhÉris em Transição”.

@InSurto O Éris se refere à Deusa grega conhecida pelos romanos como Discórdia, mas no caso da pesquisa ela recebe uma interpretação positiva (?):

@InSurto Éris seria a Dúvida e a Incerteza. A mulher de hoje seria uma mulhÉris, de vários tipos. Agora para saber mais leia: http://migre.me/je5c

MulhÉris ou Vênus?

Tentei, mas não consigo ver as mulheres como Éris. Quando observo seu comportamento, vejo a Deusa Grega Afrodite, ou Vênus, como a chamavam os romanos: a Deusa do Amor e da Beleza.

"Cara, tu não leu sobre os conflitos das mulheres e tals? Eu sou uma MulhÉris!", foi o que uma amiga falou. Ok, mas o que ela não sabia é que Vênus/Afrodite são duas deusas em uma, como explica Pausânidas em "O Banquete", de Platão. Assim como cada mulher hoje não é uma só. Se ficar dividida para uma mulher com a personalidade de Éris/Discórdia é algo compreensível, imagine sendo duas como as Vênus?

As duas Vênus do Pausânias (nome estranho...)

Ilusão de ótica: você vê uma jovem ou uma velha na imagem?

No final do século V A.C., os filósofos consideravam Afrodite como duas deusas distintas. Pausânias no Banquete (download aqui) de Platão, explica:

A madura é filha de Urano (Céu). Representando o amor de corpo e alma. A sua imagem com um pé descansando sobre uma tartaruga, creditada a Fidias, é interpretada como o amor conjugal. Ela é a romântica, do jantarzinho, da casinha, mas... essa aí tem outra por dentro e também é a que inspira o amor/Eros homossexual: a conhecida "Tonhão".

A jovem é filha de Zeus (neto de Urano), e dela emana todo o amor às mulheres. Para Pausânias, ela é a Afrodite comum. Está associada ao amor puramente físico. Ela é do fight, da academia, da sacanagem, a nova pin-up que atrai pelo corpo e mantém pela pegada.

Tá, mas daí?

E daí que encontramos Vênus com diversas atitudes diferentes através dos séculos, como veremos adiante, que corroboram minha visão das mulheres como Afrodite: a mesma mulher pode ter atitudes diversas, mas isso não significa que ela incorpore a Discórdia para isso. Ela faz o que deseja fazer e com um objetivo claro que… só conto no final.

O casamento de Peleus e Thetis - Abraham Bloemaert – 1638: Éris estraga a festa lançando o famoso “Pomo da Discórdia”.

Entendo que essa multiplicidade pode levar a uma confusão compreensível entre as deusas, mas acho que a melhor pessoa para decidir com quem se identifica é a própria mulher, ou seja, você (se você é homem ignore as últimas três palavras, ok?).

Agora vamos conhecer algumas das faces da mulher contemporânea relacionadas às Vênus através de uma área que curto muito: a Arte!

As várias faces da Vênus

"Sob o seu símbolo, reina no ser humano a alegria de viver, na festa primaveril de embriaguez dos sentidos e no mais refinado e espiritualizado prazer da estética. Seu reino é o da ternura e das carícias, do desejo amoroso e da fusão sensual, da admiração feliz, da doçura, da bondade, do prazer e da beleza. É o reino daquela paz de coração que chamamos felicidade". Chevalier e Gheerbrant, 1996.

Technorati Marcas:

O Nascimento da Vênus - Sandro Botticelli – 1483

A mulher Vênus Botticelli: uma jovem que está se descobrindo, saindo da "proteção" familiar e se aventurando, suscetível a influências e sempre às voltas com uma amiga protetora. Quer conhecer o mundo, mas ainda mantém pudores e insegurança quanto a isso, adotando uma "atitude contemplativa" (Wind, 1968).

Vênus de Urbino - Ticiano Vecelli – 1538

A mulher Vênus Ticiano: essa sabe que tem o que você quer, mas não abre mão do que já possui: casa, conforto, família, sexo morno e fidelidade (notaram o cachorrinho ao lado?). Não sou eu quem digo isso, mas o mesmo Edgar Wind  ali de cima. É inspirada na Vênus Adormecida, de Giorgione.

Vênus na forja de Vulcano - Bartholomäus Spranger – 1607/1610
A mulher Vênus Spranger:
hora extra, ajeitar a vida virtual, jogar PS3, fazer aquele download em casa? Esquece, chefe. Se você tem uma Vênus Spranger, ela vai tirar você do que estiver fazendo (e argumentos não lhe faltam!). Por quê? Porque ela é o seu centro de atenções, carinho, conversa e prazer. Precisa mais?

A Vênus do Espelho - Diego da Silva Velázquez 1648-1650

A mulher Vênus Velázquez: ela ouve você com extremo interesse, enche de perguntas, interage legal mesmo, desde que… o assunto seja ela. Narcisista ao extremo, não pode ver um espelho ou vidro reflexivo que para na hora. Sempre enche o saco de quem fotografa para ver se “não saiu de olho fechado”. É a que dá mais prejuízo no cartão de crédito porque “foi feito para eu usar!”.  Detalhe: sempre tem um Melhor Amigo Gay.

Vênus Consolando o Amor – François Boucher – 1751

A mulher Vênus Boucher: não interessa se o cara tem 40, 50, 60 anos, ela continua a tratá-lo como um bebê. Tem uma grande necessidade de cuidar de quem gosta, desde o café da manhã até o extremo do remédio para vermes. Quando sente que o cara está dando um “chega pra lá”, fica mais atenciosa ainda, sem perceber que essa pode ser a causa do mau-humor do parceiro.

Adolphe-Willian Bouguereau - O Nascimento de Vênus – 1879

A mulher Vênus Bouguereau: ela não quer ser o centro das atenções: ela é! E por incrível que pareça, essa “babação” toda a incomoda. Tanto que ela se pergunta o tempo todo se realmente gostam dela ou só do que estão vendo. É a mulher bonita que tem conteúdo (mas só atrai traste!).

Marte desarmado por Vênus - Jacques-Louis David - 1824

A mulher Vênus David: ela desarma qualquer um, inclusive o Deus da Guerra. Ela “tem as manhas”, digamos assim, para conseguir tudo o que quer: sabe convencer as amigas, botar os amigos na jogada e tocar nos pontos certos. Lado negativo: faz isso mesmo que signifique deixar o maridón com dor de cabeça.

O Nascimento da Vênus - Alexandre Cabanel - 1863

A mulher Vênus Cabanel: nada na vida dela parece ser sólido, confiável, seguro. Assim, ela se deixa levar, tentando apenas ficar acima da “linha d’água” para não ser sufocada pelos acontecimentos. Faz tanta festa que é capaz de passar o dia dormindo.

Vênus de Milo - Alexandros de Antióquia – 130 A.C.

A mulher Vênus de Alexandros: imagine uma pessoa que se acha tão inútil que acaba sendo inútil mesmo: é ela! Essa Vênus é um dos piores tipos: não quer trabalhar, estudar, cuidar da casa, dos filhos, do marido e tudo é um problema que… ela não sabe resolver. Ainda bem que são raras. Mas se encontrar alguma, faça como os turistas: olhe, não chegue perto e saia de fininho.

Marte e Vênus surpreendidos por Apolo  – Hendrik de Favre – 1600

A mulher Vênus Favre: ela não resiste a trair, seja um ficante,  namorado, marido, não importa. E… sempre deixa furo. Alguém descobre e acaba com a bagunça, ela chora, promete pra si mesma que nunca mais até… fazer tudo de novo.

Poderosa Afrodite – Mira Sorvino by Wood Allen – 1995

A mulher Vênus Allen: preciso comentar ou já sacou o estilo da moça?

Vênus - Terry Gilliam – As Aventuras do Barão Munchausen - 1988

A mulher Vênus Gilliam: é, antes de ser A Noiva em Kill Bill ou a Super Ex-Namorada, Uma Thurman já foi uma Vênus, e logo a de Botticelli. Essa Vênus tem um forte poder de atração, mas que só funciona com mentirosos compulsivos. Tem mil homens numa sala? É o mais mentiroso que vai falar com ela.

 Mas o que pode conquistar as Vênus?

A resposta da pesquisa foi que elas são fugazes, mudam de idéia o tempo todo, se cansam da paquera e os homens precisam se adaptar rapidamente. A resposta da Axe foi o Twist, que muda de perfume durante o dia. O que eu acho?

Primeiro: Axe é uma porcaria. Que o diga Vaibhav Bedi, que usou por sete anos crente que ia ajudar a pegar alguém.

Segundo: Nós, homens, usamos loção pós-barba (fragrância 1), perfume (fragrância 2) e desodorante (fragrância 3). Seria mais útil um desodorante sem fragrância nenhuma, porque o que interessa mesmo é o perfume.

Para concluir (e responder, como havia prometido lá em cima), acredito que as mulheres não estão atrás de um homem que mude conforme as circunstâncias, com um desodorante que altere sua fragrância ou que tenha um hovercraft no lugar de um carro (mas bem que um Troller quebra o galho em São Paulo!).

O mais importante para as Vênus, pelo que tenho observado, é ter um homem que esteja ao seu lado sob qualquer circunstância. Por quê? Acho que Virgílio nos dá uma boa resposta: Omnia vincit amor (o amor tudo vence). E isso não se vende em supermercado.

Então, você é uma MulhÉris ou uma Vênus? Deixe sua opinião!

Agradecimento especial a Priscilla Rezende, minha Vênus.


Digg Google Bookmarks reddit Mixx StumbleUpon Technorati Yahoo! Buzz DesignFloat Delicious BlinkList Furl

2 comentários: on "Éris ou Vênus: qual deusa você é?"

Nana disse...

amei esse post...além da identificação natural com deusas, pois a meu ver toda a mulher é uma deusa, tuas colocações são muito claras e tuas imagens deliciosas.

Agne disse...

Obrigado Nana!;o)

Postar um comentário

Deixe aqui o seu InSurto: